Memorias do Portugal-Uruguai

Foi a 26 de junho de 1966. A seleção nacional fazia o jogo de despedida antes de viajar para Inglaterra para participar no nosso primeiro mundial. O meu pai arranjou bilhetes e o Estádio Nacional estava cheio. Seria a primeira vez que ao vivo veria a seleção. Tinha 14 anos. Também pela primeira e única vez estava a minha avó Rogéria. Tinha 80 anos. A minha avó lia muito e seguia com interesse o fenómeno Eusébio.

O adversário para este encontro era uma seleção com pergaminhos mas que Portugal nunca tinha defrontado, o Uruguai.

O Torres marcou três golos e o resultado final foi mesmo 3-0. A minha avó achou mal que tivessem convidado cá os Uruguaios para sofrer derrota tão pesada e se não seria simpático deixá-los marcar um golo.

Mais logo é mesmo a sério. Cristiano Ronaldo e equipa terão que encontrar maneira de desfeitear o Uruguai 52 anos depois. Não vai ser fácil.

O desafio

CIMG0263

Fomos dos primeiros a entrar no estádio Friends de Solna. Estádio bonito, arena nacional do futebol sueco que se pode fechar quando neva ou chove. Não foi necessário pois a temperatura até estava amena. Gosto de ir cedo para as bancadas. Faz parte de uma espécie de ritual onde me entretenho a respirar o ambiente. O guarda redes da seleção, Rui Patricio foi dos primeiros a entrar para o aquecimento. Tentou orientar-se onde estava a claque de Portugal e acenou quando nos descubriu. Tambem faz parte…

Foram chegando mais e mais apoiantes. A bancada reservada aos portugueses estava quase ao canto da linha de fundo. Os bilhetes custaram cerca de € 40. Não eram os melhores lugares mas os mais alegres e otimistas. Grande parte da nossa bancada estava composta por emigrantes de primeira e segunda geração. Ao nosso lado por exemplo estavam uns jovens que tinham vindo de França e até falavam mais francês que português.

Na primeira parte Portugal atacou para o nosso lado. Foi uma primeira parte calma. Senti muita segurança. Até parecia que éramos nós que precisávamos de ganhar. Na segunda faz Cristiano um golo quando os suecos vem mais para o ataque. Era o que já se previa. A festa tinha começado. Mas a Suécia marcou um e logo outro. O Zlatan tinha finalmente começado a dar um ar da sua graça. Com 2-1 no marcador calou-se a nossa bancada e os suecos começaram a acreditar.

Felizmente foi sol de puca dura. Ronaldo não é a seleção de Portugal. Mas é um jogador importantissimo. E no dia 19 fez um jogo memorável. Marcou tres, marcou presença, liderou a nossa equipa. Vai ser um grande mundial para Portugal!

Muita gente irrita-se com o Ronaldo. O presidente da FIFA, um tal Blatter,tambem. Mas ele é espontaneo. Entrega-se e quando falha ou não consegue executar ao que se propõe mostra o seu delalento. Para mim é uma qualidade poder mostrar os seus sentimentos.É um grande jogador de futebol, e fez uma das suas melhores prestações até agora.

Fui um previligiado pois estive lá e por isso valeram a pena os sacrificios que fiz para lá estar.

CIMG0283

 

The National Team (2)

becks251,0

I decided that I would go to some of the matches in the 2004 European Championship. I bought 3 tickets in advance but did not know which matches I would see. One was for the quarter finals and it would be in Lisbon’s Estádio da Luz. It turned out to be the jewel in the crown for the matches I saw live with the Portuguese selecção. The date was the 24th June 2004 and the opponent was England.

England scored first a in the 3rd minute by Owen. Portugal worked hard for an equalizer that finally came by Postiga in the 83rd minute. The match had to go to extra time. A hard shot by Rui Costa in the 110th minute put Portugal ahead for the first time. It would not last though, as five minutes later and five from finish saw an equalizer by Lampard. After extra time the quarterfinal had to be decided from the penalty spot. My brother Pedro smoked non stop throughout the whole match. Ricardo the goal keeper became the hero for that eventful match. First he saved a penalty and then scored the winner. A night I will never forget!

My latest match with the National Team was in Coimbra on the 15th November 2006. For some reason that I have now forgotten I was in Portugal at this time. I asked my father to get us tickets for the match that was part of the qualification for the 2008 European Championships. The opponents were Kazakhstan and as the match was in Coimbra I had booked a hotel room. My father had not bought the tickets but was confident that there would be plenty – After all who wants to see Borat’s country in a football match? When we arrived in Coimbra it was pouring with rain. Frustration grew as we could not find the hotel. Eventually we got there and I went off to the stadium with the purpose of getting tickets. I was informed at the ticket office that it was sold out. Someone said I could go and speak to some students standing nearby. They asked me if I needed tickets which of course I did. They said that they didn’t sell tickets but if I bought some Portugal scarves they would give away the tickets. Said and done.   What was the alternative? The tickets were good and it allowed us to see Portugal win by 3-0 with goals scored by Simão (2) and Cristiano Ronaldo.

Going to matches with the Portuguese National Team have been events well worth remembering.

ricardo