Obrigado imigrante brasileiro

Comi umas coizinhas e tomei uma imperial ontem no Estádio Alvalade antes do jogo da seleção. Como quase invariávelmente acontece quem estava atrás do balcão era brasileiro.

Perguntei se alguma vez algum português lhes tinha agradecido por estarem cá em Portugal, estando como estão, a contribuir para o desenvolvimento económico do país. Riram-se e declararam que nunca tinha acontecido. Agradeci eu, como representante da sociedade envelhecida de Portugal, aquela que mais depende que hajam pessoas em idade ativa a trabalhar.

Na realidade penso que a imigração brasileira deve ser das mais bem sucedidas no mundo. Uma língua em comum e uma cultura muito próxima faz com que os brasileiros se integrem rápidamente e estejam aptos a trabalhar no próprio dia em que desembarcam em Portugal. Vou-me apercebendo que há brasileiros em quase todas as atividades realçando desde já as áreas da restauração e da saúde.

Qualquer país que não atraia imigracão é um país em desvantagem. Também um país que obriga os seus cidadãos a saír dos seus próprios países também está em desvantagem. Portugal tem os dois fenómenos paralelos, agravados com o brain drain a que estamos assistindo.

Ainda sou do tempo em que saíam de Portugal hordes de imigrantes os quais a sociedade portuguesa não tinha preparado nem estava interessada em investir neles. Quem não se recorda que durante muitos anos a maior fonte de riqueza do nosso paupérrimo país eram as receitas do imigrantes? Hoje já ninguem duvida que foram os imigrantes portugueses que contribuiram decidamente para o sucesso económico de muitos países europeus.

Estou-me a recordar conversas que tive com pessoas da classe média brasileira na Suécia na década de 1970.Eram refugiados à ditadura no Brasil. Diziam-me que a ideia que tinham dos portugueses era que vinham ao Brasil e abriam padarias. Na realidade esses portugueses no Brasil contribuiram e muito para o desenvolvimento desse país. Isto durante gerações. Mas os pratos da balança desequilibraram e agora já não são os portugueses a ir para o Brasil mas é o contrário que está a acontecer.

É Portugal um bom país para viver? Penso que o será se tiver uma ambição politica de diminuir os índices de pobreza aqui existentes. Segundo as estatísticas 17% da população de Portugal é considerada pobre. Tem que haver ambição para anualmente ir diminuindo os índices de pobreza. Só se conseguirá a médio ou longo prazo investindo nas áreas da nossa sociedade onde se faz a diferença, um sistema de educação e de educação vocacional, uma politica de apoio às famílias para que as crianças cresçam com esperança de uma vida melhor, uma politica de habitação que melhore as condições atuais. È possivel que Portugal continue a ser um país de eleição para o emigrante e para lá chegar temos que contar com os atuais imigrantes e tudo aquilo que nos prorcionam com o seu trabalho e presença. Bem hajam!

Manuel Toscano foi para o Brasil

Penso que estou a ficar especialista nas freguesias do concelho de Idanha-a- Nova, distrito de Castelo Branco. Mais concretamente Monsanto, Rosmaninhal e Salvaterra do Extremo onde vou colecionando um verdadeiro banco genealógico.

A possibildade de a partir de casa de fazer pesquisa através do tombo.pt é o dado mais importante que permite este trabalho. À medida que mais individuos aparecem nas bases de dados tambem novas informações e interesses vão aparecendo. Li recentemente que o interesse por exemplo da medicina, da policia, etc, aumenta para a utilização de bases de dados dos programas de genealogia com por exemplo o Ancestry.

Foi exatamente nesse site do Ancestry que me apareceu esta ficha consular do Brasil autorizando que Manuel de Mendonça Toscano emigrasse para o Brasil em 1952 com trinta anos de idade. Como ele era de Monsanto e com aqueles apelidos que aparecem também nos meus antepassados é lógico perceber que teremos ascendentes comuns. Não sei nada sobre ele. Se ficou no Brasil, o que lá fez, se formou familia?

Penso que alguem dará com este texto do meu blogue brevemente e reconhecerá este familiar. Se assim for pode comunicar por este meio e terei todo gosto em passar as informações de que disponho.