The National Team (1)

BWembley

Sweden and Portugal are set to play a decisive play-off to participate in next year’s World Cup in Brazil. Whilst trying to decide whether or not I should go to the match in Stockholm on the 19th November, I am recalling the matches I have seen live, with Portugal’s national team. My team!

First match I saw was a friendly as part of the preparation for the England World Cup of 1966. Portugal played Uruguay at the national stadium on the 26th June. José Torres scored all the three goals and my grandmother who had never seen a football match but was very keen on Eusébio felt very sorry for the Uruguayans and said that they should be allowed to score a goal.

I had moved to London in 1968 and one year later Portugal played a friendly on the 10th December 1969. England won by 1-0 after a goal by Jackie Charlton, so Portugal did not at this time revenge being knocked out of the England World Cup three years earlier.

In 1984 Portugal were in the same qualifying group as Sweden for the World Championship of 1986 in Mexico. Thanks to a late goal by Fernando Gomes Portugal could come home with a precious 1-0 victory. That match was seen surrounded by Swedes that had little or no understanding when João Oliveira and I jumped up to celebrate the goal. Much could be said of this Stockholm encounter but it is a story that will have to stand on its own.

Fate had it that Portugal and Sweden would once again play each other, this time for the European Championships. My fourth match was also in Råsunda, Stockholm, and was played on the 23rd September 1987. Even in this match Portugal came out as a winner. An early goal by defender João Pinto ( his only one, in 70 caps) was enough but neither of the two countries would reach the final phase in Germany 1988.

Before the 2004 European Championship that was organized in Portugal the National Team only played friendlies. It was on the 10th September 2003 that I saw Portugal defeat Norway by 1-0. The goal scored by Pedro Pauleta at the Oslo Ullevaal arena. Through our mobile we heard that Swedish foreign minister Anna Lindh had been knifed in Stockholm some hours earlier. Unfortunately she would no longer be with us the next day.

 

O 25 de abril de1974

cravo

Todos guardamos memórias daquelas em que se pergunta: O que estavas a fazer quando aconteceu tal e tal?

Essas memórias costumam ser negativas, associadas a alguma calamidade ou a algum atentado que nos marcou por tambem nos afetar direta ou indiretamente. O primeiro evento de que me recordo foi no dia 22 de novembro de 1963. Tinha 11 anos e vivia na Politécnica em Lisboa. Recordo-me dessa noticia e exactamente onde estava, que era no apartamento na Eng. Miguel Pais. Senti a apreensão e preocupação dos adultos à minha volta.Havia uma insegurança em fazer grandes alaridos pois o assassinato do presidente Kennedy era do foro das politicas.

Do mesmo tipo foi o assassinato a Olof Palme, primeiro ministro em exercicio, no dia 28 de fevereiro de 1986. Vivia já na Suécia e foi um amigo chileno que me acordou ao telefone na manhã seguinte para informar do sucedido. Pensei que fosse uma brincadeira de mau gosto, mas nesse mesmo dia organizaram-se e participámos numa manifestação de solidariedade e pesar no centro de Sundsvall.

No dia 11 de setembro de 2003 estava com a Mona em Oslo para ver a seleção nacional de futebol jogar um amigável com a Noruega. Por telemóvel chegou-nos a noticia que a nossa ministra de Negócios Estrangeiros Anna Lindh havia sido vitimada em atentado com faca numa loja de Estocolmo. Ficámos apreensivos e só no dia seguinte depois de muitas notícias contraditórias ficámos a saber que Anna não tinha podido sobreviver aos ataques  do dia anterior.

A informação que recebi dos ataques ao World Trade Centre de Nova Iorque no dia 11 de setembro de 2001 foram dados numa reunião de pais duma nova classe na escola de Katrinelund onde trabalhava na altura. Recordo-me de ter comentado se não teria sido um filme ou piada de mau gosto o que me estavam a contar.

Estas noticias, todas de cariz negativo e calamitoso só podem ser acompanhadas de uma noticia positiva. Foi de manhã no dia 25 de abril de 1974 que a minha sogra informou que estavam a correr algumas noticias sobre acontecimentos em Lisboa. Terei encolhido os ombros e recordo-me ter pensado que não devia ter sido nada de mais. Mas foi ,e terei ocasião em futuros textos de repartir convosco como os eventos foram seguidos por uma pessoa, das muitas, que não estando lá, muito gostariam de ter estado. Nascia um novo Portugal!