O meu avô!

Joao Henriques Pinheiro

Vou hoje escrever umas linhas sobre o meu avô paterno João Henriques Pinheiro que nunca conheci já que morreu 6 anos antes do meu nascimento.Quando morreu não tinha netos mas os seus descendentes compreendem hoje 1 filho, 3 netos, 8 bisnetos e 3 trisnetos, até ver…

Nascido em Salvaterra do Extremo, Idanha-a-Nova, distrito de Castelo Branco em 24 de junho de 1881 foi batizado uns dias depois pelo vigário Eurico Domingos Caldeira, que assim faz a sua entrada no mundo da cibernáutica. Não participaram no batizado nem pai nem mãe, sendo que aí foi apresentado por Isabel Affonso dessa mesma freguesia. O recém nascido trajava uma touca branca de cambraia, casaco e baeta de mititon, tambem brancos!

Foram padrinhos Marcelino de Figueiredo, lavrador e João Torrado Vidal, ferrador.

Casou-se em 1919 com a minha avó Rogéria (Bua) na Igreja de Santa Engrácia em Lisboa.

Formou-se em advocacia e participou na vida pública e politica tendo sido ministro dos Abastecimentos no curto governo de José Relvas em 1919. Foi governador em Porto Amélia, Niassa, Moçambique entre 1920 e 1923.

Viria a falecer no dia 18 de fevereiro de 1946 no Hospital das Mercês em Lisboa!

Para completar esta curta biografia estão os leitores que tenham mais informações sobre este meu ilustre antepassado convidados a participar!

5 thoughts on “O meu avô!

  1. Bom dia, o meu nome é Maria João Godinho e procuro informações sobre uma familia Pinheiro de Salvaterra do Extremo. O meu bisavô chamava-se Francisco Pinheiro. Tendo pesquisado na net, penso que de alguma forma estarei ligada a uma Clementina Pinheiro casada com António Bargão. Será que , de algum modo, poderá saber de algo que me possa ajudar? Muito grata.

  2. Boa tarde! Não encontrei ninguém com esses nomes na família de descendentes dos Moura Pinheiro. Talvez com a data de nascimento do seu avô possa chegar mais perto. O nome Godinho também aparece mas já há algum tempo! Melhores cumprimentos.

  3. Meu caro João Pinheiro, lá terei que procurar nos registos paroquiais que estão no arquivo Castelo Branco. Relativamente ao apelido Godinho (da parte do meu pai) somos naturais de Lisboa. Muito obrigado .

  4. Bom dia, sou estudante e estudo a região do Niassa, gostaria de entrar em contato com o senhor, para eventuais conversas e troca de informações. Seria enriquecedor!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.